Requião Filho cobra programa de apoio psicológico aos policiais do Paraná

 

Governo estadual teria criado projeto que sequer foi divulgado entre os praças.

Nos últimos tempos, tem se tornado recorrente as manchetes nos jornais sobre policiais que, movidos por algum distúrbio psicológico, tomam atitudes infelizes, cometendo assassinatos em série por motivos torpes e até suicídios. Diante da falta de um efetivo maior no estado do Paraná, a corporação tem sofrido as consequências de jornadas extenuantes e baixa valorização. Esta semana, um caso chocou a sociedade paranaense, quando um policial em surto assassinou seis pessoas de sua própria família e outros dois cidadãos, demonstrando claramente que seu inconsciente estava pedindo socorro.

 

Para o deputado Requião Filho, esse esgotamento vem causando prejuízos em todas as esferas da segurança pública e representa o reflexo da falta de gestão do atual governo estadual.

“Soubemos que eles até criaram um programa de apoio psicológico, um tal de ‘Prumos’, mas sequer é de conhecimento dos próprios policiais e seus familiares a existência disso. Eles não sabem a quem recorrer, estão cansados, debilitados, e suas famílias já não sabem mais como ajudar. Está na hora do governo tomar alguma providência urgente”, afirmou.

Na intenção de cumprir com seu papel na fiscalização das ações do Executivo, Requião Filho está encaminhando nesta sexta-feira (15) um pedido de informações ao Secretário de Segurança Pública, para obter dados concretos das ações que têm sido realizadas pelo projeto ‘Prumos’, em apoio ao tratamento psicológico da corporação, das Polícias Civil e Militar do Paraná.

“Meus sentimentos às famílias que perderam seus entes queridos nessa triste tragédia de Toledo e meu compromisso com a saúde do profissional da segurança pública do Estado do Paraná”, declarou o deputado.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*