Portos do Paraná investe em ações sociais e se destaca na área ambiental no Litoral

 

Empresa pública foi a única autoridade portuária do mundo convidada a participar da Conferência das Partes sobre Mudança Climática da Organização das Nações Unidas – COP26, que aconteceu em Glasgow, no Reino Unido.

A Portos do Paraná comanda, coordena e desenvolve diversas ações no litoral paranaense envolvendo a área ambiental, além de capacitação e serviços para toda a comunidade. Os exemplos passam pelas limpezas de mangues, serviços prestados aos caminhoneiros no Pátio de Triagem de Paranaguá e aos moradores das comunidades ilhadas.

A empresa pública ofereceu durante todo o ano de 2021 capacitação aos jovens da Ilha dos Valadares, aulas de compostagem na Ilha do Mel, readequação de microssistemas de abastecimento de água nas comunidades ilhadas da Baía de Paranaguá e até instruções sobre correto descarte do lixo.

Todas essas atividades, somadas a uma série de mais de 20 programas ambientais, fizeram com que a Portos do Paraná fosse a única autoridade portuária do mundo convidada a participar da Conferência das Partes sobre Mudança Climática da Organização das Nações Unidas – COP26, em Glasgow, no Reino Unido.

O diretor-presidente da Portos do Paraná, Luiz Fernando Garcia, ressalta que o convite para um reconhecimento do trabalho desenvolvido pela empresa pública na área ambiental. “Fomos, novamente, a única autoridade portuária entre todas do mundo a ser convidada a palestrar em um evento da ONU. Isso demonstra que, além de ser reconhecidos no Brasil como a melhor gestão pública portuária, pelo Ministério da Infraestrutura, também somos vistos no Exterior pelo trabalho na área ambiental”, explicou.

EXEMPLOS – No auge da pandemia, a Portos do Paraná e toda comunidade portuária participaram da campanha Cesta Solidária, arrecadando 9 mil cestas básicas. Muitas delas seguiram para os locais mais isolados. Para agilizar, foi utilizado um helicóptero que levou as cestas até as comunidades de Serra Negra e Praia Deserta, em Guaraqueçaba; na Barra do Ararapira, no Superagui; e em mais uma comunidade Quilombola.

Em setembro, no Dia do Voluntariado Paranaense, com presença da primeira-dama e presidente do Conselho de Ação Solidária, Luciana Saito Massa, 18 voluntários participaram da ação de limpeza de praias nas comunidades de Europinha e Ilha do Teixeira, no entorno dos portos de Paranaguá e Antonina, na Baía de Paranaguá. Ao todo, o grupo – formado por colaboradores e prestadores de serviço da Portos do Paraná e cinco representantes dos Escoteiros do Mar de Antonina – recolheu quase 45 sacos de 100 litros de resíduos.

Os recicláveis coletados foram destinados a uma associação de recicladores integrada por 28 famílias de Antonina. Os demais resíduos vão para a coleta de Paranaguá. A ação fez parte das atividades da Semana do Voluntariado Paranaense, de 24 a 30 de setembro, organizada pela Superintendência Geral de Ação Solidária do Governo do Paraná.

A primeira-dama do Estado fez questão não apenas de acompanhar, mas também de ajudar diretamente na coleta de resíduos na Ilha do Teixeira. “As empresas são feitas de pessoas. E quando vemos as pessoas saírem das suas zonas de conforto, do escritório para vivenciar uma outra realidade, elas adquirem uma nova visão e ainda mais conhecimento”, afirmou Luciana.

Em novembro, a Portos do Paraná repetiu a dose, em parceria com a Colônia de Pescadores de Antonina, e comandou um mutirão de limpeza nos mangues do município. Mais de uma tonelada de lixo foi retirada da Ponta da Pita, trapiche municipal, Rio Tucunduva e região do Portinho e gerou receita de R$ 1.350 para a Associação do Km4 da Coleta Seletiva com a reciclagem.

DIA DAS CRIANÇAS – Em outubro, a Portos do Paraná em parceria com a Superintendência Geral de Ação Solidária, distribuiu brinquedos às crianças matriculadas nas escolas municipais das comunidades isoladas de Paranaguá e Antonina. A ação fez parte da nova edição da campanha Paraná Piá, de arrecadação de brinquedos novos para crianças em situação de vulnerabilidade social.

A arrecadação dos presentes foi feita entre os colaboradores voluntários da Portos do Paraná e somou cerca de 180 brinquedos. Através da lista de matriculados nas escolas municipais foi possível escolher a criança, tendo definido sexo e idade, para que fosse comprado um brinquedo que realmente agradasse aos pequenos.

COLETA SELETIVA – Em novembro, a empresa pública coordenou ação que teve por objetivo conscientizar a população de Paranaguá em relação aos dias e rotas da coleta seletiva e como fazer corretamente o descarte do lixo reciclável. A iniciativa contou com a participação da CIA Ambiental, Prefeitura de Paranaguá e Associação dos Catadores de Material Reciclável de Vila Santa Maria (Assepar).

Foram envolvidas cerca de 20 pessoas e a atividade teve início na Vila Itiberê, próximo ao Aeroparque, um dos principais locais de lazer da cidade. A estratégia para contemplar o maior número de residências foi de visita porta a porta, com abordagem aos moradores e distribuição de panfletos explicativos.

CAPACITAÇÃO – Em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), a Portos do Paraná entregou certificados aos 35 jovens da Ilha dos Valadares que participaram dos cursos de Comunicação e Atendimento e Introdução à Maquiagem.

“Esses cursos são de fundamental importância para cumprirmos com aquilo que nos comprometemos junto ao governador Carlos Massa Ratinho Junior, de fazer com que o porto seja uma mola propulsora da transformação da realidade das comunidades na nossa área de influência”, afirmou o diretor de Meio Ambiente da Portos do Paraná, João Paulo Santana,

A ação está ligada ao projeto Jovem Aprendiz, que contempla o programa de Educação Ambiental da empresa pública, como ação de compensação da licença ambiental de operação, liberada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

PORTO EM AÇÃO – Depois de mais de ano parado, devido à pandemia, a Portos do Paraná também retomou o projeto Porto em Ação, considerando o avanço da vacinação contra a Covid-19 no Estado. O evento aconteceu na cozinha comunitária da comunidade Piaçaguera e beneficou também os moradores da Ilha de Amparo.

Eles participaram de um almoço de integração e tiveram acesso a vouchers de consultas clínicas, teste de glicemia, aferição de glicose, além de corte de cabelo, distribuição de kits de jogos lúdicos, atividades físicas e orientações da Marinha do Brasil e da Unidade de Segurança Portuária (Uasp).

Em dezembro, outra edição do Porto em Ação atendeu cerca de 200 caminhoneiros no Pátio de Triagem de Paranaguá. O evento ofereceu aos caminhoneiros serviços do Detran-PR, do Serviço Social do Transporte e do Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (Sest/Senat), da Global Saúde, da Associação dos Terminais do Corredor de Exportação do Porto de Paranaguá (ATEXP), além de corte de cabelo e orientações sobre trânsito, meio ambiente e segurança. As ações foram gratuitas.

O diretor de Desenvolvimento Empresarial da Portos do Paraná, André Pioli, enalteceu o trabalho voluntário prestado aos caminhoneiros. “A forma como o evento é montado atrai muito. O caminhoneiro chega para tomar um café, come um pão de queijo e quando nota já está fazendo exames de saúde, recebendo orientações de todos os tipos, atualizando documentos e até cortando o cabelo”, disse.

ÁGUA NAS ILHAS – Outro projeto da Portos do Paraná colocado em prática em 2021, através de seu programa de Educação Ambiental, foi a readequação de microssistemas de abastecimento de água nas comunidades ilhadas da Baía de Paranaguá, que estão na área de influência do porto. Uma aula módulo de “proteção de nascentes caxambu”, tecnologia que evita a contaminação da água, reuniu a comunidade de Europinha. Atualmente, o microssistema atende 46 famílias na ilha.

COMPOSTAGEM – Com a coordenação da Diretoria de Meio Ambiente da Portos do Paraná, através de seus programas de Educação Ambiental, moradores de comunidades isoladas têm recebido ensinamentos básicos sobre permacultura e sustentabilidade, iniciados através da compostagem, um dos princípios básicos estudados pela permacultura dentro das florestas.

“A Portos do Paraná está novamente revolucionando sua relação com as comunidades, levando os princípios e ética da permacultura no trato dos assentamentos de escala humana que existem nas ilhas”, afirma o diretor de Meio Ambiente.

Além da Ilha do Mel, o projeto também já se estendeu para a comunidade de Amparo e agora segue para a comunidade de Piaçaguera.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*