Pontal do Paraná – Preocupação com o avanço do Coronavírus

Apesar do perigo, dos avisos, do veto de prefeituras, turistas vêm enganando com artimanhas os decretos em Pontal do Paraná para passar o período de quarentena no litoral e frequentando a faixa de areia. Passando pelas ruas da cidade, percebe-se a concentração de pessoas. Muitas andando no calçadão da praia —o que não é proibido, mas também não é recomendado pelos gestores locais. Ocupando os Supermercados, bares e lanchonetes abertos e lotados com fregueses em sua maioria sem as devidas mascaras contra o covid19.

 

Na praia, em Shangri-la, é possível ver casais e famílias tomando sol, caminhando ou brincando na faixa de areia. No mercado de peixe, como já foi denunciado, os comerciantes continuam sem mascaras e manipulando os pescados sem as devidas proteções. Fregueses também circulam no espaço e muitos sem mascaras.

 

Surfistas, praticantes de ioga, banhistas, famílias com crianças e bebês de colo e gestantes estavam na faixa de areia na manhã deste domingo, dia 30 de agosto.

A advogada Fernanda Souza Martins, 27, de Curitiba, tomava banho de mar sem se importar com os alertas da prefeitura local.

 

“Estou em casa de familiares aqui em Pontal e resolvi descer para passar a quarentena por aqui pois a praia é bem extensa e creio que não haja perigo para pegar ou transmitir vírus, pois as pessoas ficam distantes umas das outras”, disse ela.

 

Na cidade, é clássica a cena de pessoas passeando sem camisa pelos caminhos da orla e as ruas bastante movimentadas. A cidade já anunciou inúmeras medidas restritivas desde o início da pandemia, mas não há fiscalização e nem consciência dos perigos da pandemia.

 

MORADORES EM AÇÃO

A coordenadora da União Brasileira de Mulheres, Ala Flores afirmou que vem orientando os frequentadores e turistas a permanecerem em casa e não frequentarem a praia. O alerta é feito pessoalmente. Em posts nas redes sociais, banhistas que burlam o veto estão sendo criticados, assim como a Prefeitura e os vereadores também. “Estou muito preocupada. Tem muita gente ligando para mim, por conta do Grupo Boca no Trombone, líderes de comunidades mais carentes da cidade, chorando por não terem a proteção do poder público, principalmente nesse período”. É preciso pensar nesse povo com pouca informação, vivendo em ambientes superlotados e sem condições de seguir recomendações como comprar álcool em gel, estocar comida.

PREOCUPAÇÃO

A preocupação dos moradores de Pontal, por isso apelam ao prefeito Binho, é que pelos dados apresentados até momento, o período de incubação do vírus pode variar de dois a 14 dias. Durante esse tempo, o vírus tem capacidade de transmissão. Quantos turistas não se encontram nesse quadro? Por isso, é importante adotar medidas gerais, como restringir ao máximo a circulação de pessoas, rever a abertura do comercio na sexta, sábado e domingo. A transmissibilidade dos pacientes infectados por corona vírus é em média de sete dias após o início dos sintomas.

 

Para evitar a propagação do novo coronavírus, com o objetivo de conter o possível fluxo de visitantes, por conta do Feriado de 7 de setembro

 

Devido ao feriado prolongado que se aproxima (7 de setembro), moradores exigem da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, a instalação de barreiras sanitárias fixas e móveis nas principais entradas da cidade, que devem ser monitoradas por agentes de saúde, Guarda Municipal, Fiscais Sanitários, Agentes de Trânsito, Policia Militar e Vigias terceirizados, em apoio aos Órgãos de Segurança Pública do município até o final do feriadão para conter o avanço da COVID-19.

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*