O problema continua: Ferry boat fica à deriva

 

Ferry boat fica à deriva e precisa de dois rebocadores para atracar

Por volta das 11h desta segunda-feira (7), o ferry boat Nhundiaquara teve problemas mecânicos e ficou à deriva na baía de Guaratuba com diversos passageiros e veículos embarcados. Além do susto, os usuários tiveram de enfrentar a fila que já era grande na saída de Guaratuba após o final de semana e ficou ainda maior.

Houve um problema na bomba hidráulica de um dos motores da embarcação, que teve de ser desligado.

Foram necessários dois rebocadores, que são usados nas balsas, para conseguir que o ferry atracasse. O rebocador Bigu foi ao socorro, mas enquanto tentava puxar o ferry, o cabo rompeu-se. Foi preciso a ajuda do rebocador San Blas para conseguir concluir a tarefa e fazer a atracagem.

Foi apurado que um outro ferry boat foi interditado neste domingo (6) pela Marinha, pois estava com “rasgos” no costado. Os funcionários eram obrigados a trabalhar com a embarcação furada.

Em virtude de todas estas situações, com o uso emergencial de um rebocador da única balsa em operação, apenas um ferry estava em operação por volta do meio-dia.

Fim da trégua

Depois de uma trégua de quase um mês para a empresa que assumiu o serviço, os usuários voltaram a reclamar nas redes sociais. Muitos deles moradores de Guaratuba ou profissionais de outras cidades que fazem a travessia diariamente.

A reportagem tentou contato com a empresa contratada pelo DER para operar a travessia, a Internacional Marítima, mas não obteve sucesso. Em uma das tentativas de contato, nos orientaram a buscar informações com a assessoria do DER. No início da tarde, enviamos ao órgão estadual as dúvidas sobre este e outros incidentes recentes no ferry boat e perguntamos se a empresa contratada emergencialmente foi notificada ou autuada por algum problema na operação.

À noite, chegou a resposta do órgão responsável pela fiscalização do do serviço:
“O DER/PR informa que uma das embarcações tipo ferry boat saiu da rota de navegação devido a um problema mecânico, tendo sido necessárias outras duas embarcações para dar apoio. Em poucas horas ela foi consertada, já voltando para operação.”

Fonte

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*