Falta de atenção do Comandante de embarcação de Esporte e Recreio é a principal causa de acidentes

 

A falta de atenção do Comandante de embarcação de Esporte e
Recreio é a principal causa de acidentes com este tipo de embarcação, de
acordo com o Relatório Estatístico da Segurança do Tráfego Aquaviário (STA2020) da Diretoria de Portos e Costas (DPC). O documento é fruto das
análises dos acidentes na navegação amadora do Departamento de
Inquéritos e Investigações de Acidentes de Navegação da DPC com base
nos dados de 2019. Por isto, a Marinha do Brasil reforça a necessidade de
cumprimento de todas as Normas de Segurança da Navegação a fim de
salvaguardar a vida humana, evitar acidentes e prevenir a poluição hídrica a
partir de embarcações.
Além disto, o Relatório Estatístico da Segurança do Tráfego Aquaviário
aponta ainda as seguintes causas de acidentes no ano passado: comandante
inexperiente; velocidade excessiva; falha na propulsão por falta de
manutenção preventiva; uso de bebidas alcoólicas; navegação em locais
perigosos (falta de uso da carta náutica); más condições atmosféricas; não
utilização das regras do Regulamento Internacional para Evitar
Abalroamentos no Mar (RIPEAM); força das ondas, em relação ao porte da
embarcação; e falta de verificação da embarcação antes da partida. Entre a
natureza dos acidentes em geral mais comuns em 2019, o documento
destaca naufrágio; abalroamento; colisão com objeto fixo; incêndio; e queda
de pessoa na água.
As regras de navegação podem ser acessadas no site da DPC na
internet: www.marinha.mil.br/dpc. O usuário deve clicar na aba de “Normas”
e acessar a Normas da Autoridade Marítima (NORMAM) adequada ao tipo de
navegação que será realizada.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*