CPI e as irregularidades com dinheiro público na Saúde de Pontal do Paraná

 

Em depoimento nessa segunda feira dia 26, a Secretária de Saúde de Pontal do Paraná, Carmen Cristina Moura dos Santos, se viu enredada em inúmeras questões. Vereadores Paulo Parada, Juvanete e Marcelo conduziram a reunião da CPI. Foi preciso dois turnos para obtenção de respostas as inúmeras perguntas. Pela manhã e agora à tarde.

RECORDANDO

A CPI fica criada composta por três membros para apuração dos fatos determinados no Requerimento sob o processo legislativo nº 0490/2021 devendo apurar diversas ações como:

– A má utilização dos recursos federais, estaduais e também recursos do próprio Município, destinados ao combate à pandemia da COVID 19; a suposta irregularidade no atendimento de usuários com suspeita ou positivados para COVID 19, junto com demais usuários do SUS, no Pronto Atendimento 24 Horas e Praia de Leste.

– Também a suposta irregularidade na locação de ambulância e manutenção de tais veículos; no superfaturamento na aquisição de materiais, equipamentos e medicamentos utilizados pela saúde, desde março de 2020 até a presente data.

– Possível falta de oxigênio e de insumos, especificamente nos casos de atendimento dos casos de COVID-19 e suposta ocorrência do favorecimento pessoal para alguns pacientes, com privilégios no atendimento e tratamento médico dispensado na unidade de Pronto Atendimento de Praia de Leste, no dia 14/04/2021.

Mesmo sem muito preparo, quase que para justificação, a Comissão da Câmara Municipal, que teria a finalidade de apurar se as denuncias contra a assessora do Prefeito Rudão são reais, fez uma provocação polemica sobre um certo médico que faz plantões na Saúde da cidade e não tem seu CRM cadastrado no sistema.

RECORDANDO

No início do ano o Prefeito de Pontal do Paraná, e sua Secretária foram denunciados aos órgãos competentes por supostamente terem contratado médico intensivista, conforme afirmado em live, sem que o mesmo realmente tivesse esta especialização.

Logo em seguida, o Prefeito e sua Secretária, recuaram e afirmaram se tratar de médico clínico geral.

O referido médico rapidamente deixou Pontal do Paraná, e até o momento esta questão continua sendo averiguada e a CPI continua em andamento.

FOGO NO PARQUINHO

As investigações podem indicar a atuação de uma organização criminosa suspeita de praticar os crimes de peculato e falsidade ideológica. Inclusive trazer para essa CPI, empresas ligadas a esse grupo e supostamente beneficiadas no esquema, de acordo com um integrante do Ministério Público que não quis se identificar.

Não há manifestação nem do MP/Pr e nem do Prefeito Rudão.

SE NECESSÁRIO DIMINUA O VOLUME DA RÁDIO NO ALTO DA PAGINA

PERIGO

A secretária Carmem falou na CPI que a pratica consiste na utilização de um CRM cadastrado no sistema, sem que seja de seu real possuidor, ou seja, em resumo possibilita que qualquer indivíduo, desde médico ou estagiário insira informações no sistema da central de leitos do Estado do Paraná, utilizando do CRM e Senha de um médico, sem que este tenha ciência, ou que esteja presente.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*