Professora Tati, e outros candidatos são impulsionados em eleição de Pontal.

 

Quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Quinto Ato para investigar atos de corrupção em liberação de licenças ambientais para a instalação do Porto Pontal Paraná, acabou por embaralhar a disputa eleitoral na cidade.

O CANDIDATO MAIS RICO DO BRASIL nas eleições municipais de 2020 aparecerá nas urnas (caso não renuncie a candidatura) usando apenas seu primeiro nome, João.

Trata-se do empresário João Carlos Ribeiro, que decidiu estrear na vida pública.

Com patrimônio de R$ 1,55 bilhão declarado à Justiça Eleitoral, Ribeiro quer ser prefeito de Pontal do Paraná, litoral do estado, para fazer deslanchar a construção do porto que quer instalar no município de 27 mil habitantes.

Para o eleitorado de Pontal (19 mil pessoas), ele acena com a promessa de seis mil postos de trabalho (números contestados por estudos da UFPR) – uma oferta irresistível numa localidade que vive basicamente do dinheiro deixado pelos turistas nos meses de verão. O triste da história é que seus antagonistas, quase todos, estariam ligados a ele.

As denúncias devem impulsionar ainda mais as candidaturas de Alfredo Parodi (PSDB), Lucio Lugli (PMN) e da Professora Tati (PT), que agora passam a disputar, como dizem, o espólio de JCR.

Antes do fechamento da matéria, recebemos a Fontes seguras que confirmaram às 17:00 horas de hoje, dia 23 de outubro de 2020 que João Carlos Ribeiro desistiu de concorrer ao cargo de prefeito de Pontal do Paraná nas eleições de 2020 que ocorrerá dia 15 de novembro.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*