Covid-19 – casos voltam a subir no Litoral do Paraná

 

Os casos de covid-19 voltaram a subir na região litorânea, seguindo uma tendência do Estado e do país. O aumento ainda é menor do que no auge da pandemia, ou mesmo do início do ano, mas já preocupam as autoridades.

No mês de abril, o Paraná teve o menor número de mortes pela doença em dois anos. Na última semana do mês passado, a média de casos era de 1.266 por dia. Nos primeiros dias de maio, passa de 1.500.

Na Semana Epidemiológica encerrada neste sábado (7), foram registrados 601 casos de covid no Litoral.  Para fazer uma comparação, mesmo com aumento se registrando desde o final de abril, em todo o mês passado houve 1.398 novos casos da doença na região.

Dos novos casos confirmados, 56% foi de residentes em Paranaguá: 337 confirmações. Em seguida vêm Guaratuba (100), Matinhos (59), Pontal do Paraná (51), Morretes (35), Antonina (11) e Guaraqueçaba (8).

Houve 2 mortes confirmadas: 1 em Paranaguá e 1 em Pontal do Paraná.

Indicadores

No momento, a 1ª Regional de Saúde, com abrangência em todo o Litoral e com sede em Paranaguá, tem o 4º maior coeficiente de mortalidade entre as 22 regionais de saúde: são 411,6 pessoas mortas para cada 100 mil habitantes. No Paraná são 372,6.

Na incidência de casos, já esteve entre as primeiras e agora está em 17ª lugar, com 22.728 confirmações / 100 mil, sendo que o Paraná tem 21.356

Nota de Alerta sobre coronavírus nos esgotos de Curitiba 

O aumento de novos casos nas últimas semanas foram reforçados pelos dados mais recentes da Rede Monitoramento Covid Esgotos, que  publicou nesta quinta-feira (5) uma Nota de Alerta para a cidade de Curitiba.

A coleta de dados detectou um forte aumento na carga do novo coronavírus (Sars-CoV-2) no esgoto da capital paranaense nas três últimas semanas epidemiológicas de 2022.  Esse crescimento foi acompanhado também pela elevação do número de novos casos de covid-19 na cidade.

Os valores encontrados são de quatro a seis vezes superiores ao que foi registrado na semana epidemiológica anterior, analisada até 12 de abril.

Os dados servem de referência, pois não há evidências sobre a possibilidade de transmissão do Sars-CoV-2 por meio do esgoto.

Os resultados das pesquisas de epidemiologia baseada nos esgotos apontam que ela tem sido uma ferramenta importante para o acompanhamento da pandemia de Covid-19 em Curitiba. De acordo com o professor Ramiro Gonçalves Etchepare, do Departamento de Hidráulica e Saneamento da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e um dos pesquisadores da Rede Monitoramento Covid Esgoto

informações da Sesa e da UFPR Litoral

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*