CICLOVIA DA VERGONHA EM PONTAL

 

Não tem condições. Uma empreiteira contratada pela Prefeitura de Pontal do Paraná “construiu” uma ciclovia no município que virou chacota para os munícipes e turistas que visitam a cidade. Uma verdadeira vergonha. O assunto foi destaque do jornalismo da RPC.

 

OUTRO PROBLEMA

 

Não é só a largura de uma ciclofaixa instalada em uma via de Pontal do Paraná, no litoral do estado, que chamou a atenção dos usuários. Há a reclamação dos turistas também pela falta de estacionamentos na orla dos balneários, que teriam sido tomados nos trechos da faixa de ciclistas, cujo espaço para as bicicletas vai se estreitando, chegando a somente 40 centímetros.

O manual de sinalização de trânsito do Contran contém uma recomendação de largura mínima para a ciclofaixa: recomenda-se para, quando há sentido único, a largura mínima de 1,50 metro, e para a de sentido duplo, a largura de 2,50 m.

O trecho que impediria também o estacionamento de automóveis, começa em Praia de Leste, onde há ciclovia (ali sim, quando a faixa é separada dos carros) mas, quando termina a ciclovia, os ciclistas são conduzidos para a ciclofaixa, que é pintada no asfalto da avenida beira-mar. A obra é recente.

 

JUSTIFICATIVA

A Prefeitura de Pontal do Paraná disse que o problema se trata de um erro da empreiteira que fez a execução da obra da ciclofaixa. Nesta sexta-feira (8), o local estava em obras, com roçada, e um caminhão da empresa que fez a obra também foi ao local.

Após o questionamento, o município informou, por intermédio do prefeito Rudão, apoiador de Ratinho Junior, ainda que o total de custo já gasto com a pintura da ciclofaixa, na primeira fase, foi de R$ 250 mil.

“A segunda etapa prevê a construção de calçadas, onde a pista não tem a largura suficiente”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*